(21) 3292-1045(21) 3404-0255

(21) 98120-3855

Inovador vidro-cerâmica de dissilicato de lítio IPS e.max (LS2) oferece encaixe, forma e função excelente junto com a alta resistência de 400 MPa. O IPS e.max Press é usado na produção de restaurações para apenas um dente, pontes para as regiões anterior e pré-molar até 03 elementos e superestruturas implantadas. Incrustações e onlays minimamente invasivos (1 mm) e folheados finos (0,3 mm) completam a indicação. 

As coroas podem ser prensadas e maquiadas. Para confecção de uma coroa na região anterior, a aparência estética das restaurações pode ser maximizada através  da  técnica de “cut back”, onde é feita uma aplicação de cerâmica e-max ceram  sobre a coroa  prensada. Dependendo da indicação e da resistência necessária, os dentistas podem optar por um material estrutural ( copings ou estrura até 03 elementos prensados), que receberá uma aplicação de cerâmica e-max ceram (baseada em compostos de fluorapatita que resultam em inúmeras possibidades estéticas) resultando assim  em compatibilidade de tom e comportamento clínico uniforme em relação ao desgaste e ao brilho da superfície.

Quando a estrutura preparada para o dente é descolorida ou são empregados abutments de titânio , lingotes de alta opacidade ocultam o fundo escuro para se obter resultados altamente estéticos. Por este motivo é importante que o dentista envie a cor do substrato ao laboratório.

Preparos indicados para confecção das restaurações em e-max :

     DICAS DE PREPARO
 


REDUZIR A FORMA ANATÔMICA E OBSERVAR AS ESPESSURAS MÍNIMAS ESTIPULADAS.
     
PREPARAR OMBRO COM MARGENS INTERNAS ARREDONDADAS OU UM PROFUNDO CHANFRO.

A LARGURA DO OMBRO/CHANFRO DEVE SER DE 1,0 mm, NO MÍNIMO.

REDUÇÃO OCLUSAL DE APROXIMADAMENTE 1,0 mm.




SE  POSSÍVEL, O PREPARO DEVE SER LOCALIZADO EM ESMALTE.

AS MARGENS INCISAIS DO PREPARO NÃO DEVEM SER SITUADAS NAS ÁREAS DE CONTATOS OCLUSAIS ESTÁTICOS OU DINÂMICOS.

A ESPESSURA MÍNIMA DE CAMADA DA FACETA FINA, NAS ÁREAS CERVICAL E VESTIBULAR, DEVE SER DE O,3 mm. A RESTAURAÇÃO COM 0,4 mm DE ESPESSURA, DEVE SER PLANEJADA, A PARTIR DA MARGEM INCISAL.

QUANDO HOUVER ESPAÇO SUFICIENTE, O PREPARO NÃO SERÁ NECESSÁRIO




SE POSSÍVEL, O PREPARO DEVE SER LOCALIZADO EM ESMALTE.

AS MARGENS INCISAIS DO PREPARO NÃO DEVEM SER SITUADAS NAS ÁREAS DE CONTATOS OCLUSAIS ESTÁTICOS OU DINÂMICOS.

REDUZIR AS ÁREAS CERVICAL e/ou VESTIBULAR EM 0,6 mm, E A MARGEM INCISAL EM 0,7 mm.




REDUZIR A FORMA ANATÔMICA E RESPEITAR AS ESPESSURAS MÍNIMAS ESTIPULADAS. PREPARAR UM OMBRO COM EXTREMIDADES INTERNAS ARREDONDADAS OU UM CHANFRO PROFUNDO.

A LARGURA DO OMBRO/CHANFRO DEVE SER DE 1,0 mm, NO MÍNIMO.

EFETUAR REDUÇÃO INCISAL EM APROXIMADAMENTE 1,5 mm.

REDUZIR AS ÁREAS VESTIBULAR e/ou LINGUAL EM APROXIMADAMENTE 1,2 mm.

PARA CIMENTAÇÃO CONVENCIONAL e/ou AUTO ADESIVA, O PREPARO DEVE APRESENTAR SUPERFÍCIES RETENTIVAS E SUFICIENTE ALTURA DE PREPARO.

 

OS CONTATOS OCLUSAIS ESTÁTICOS E DINÂMICOS DEVEM SER LEVADOS EM CONSIDERAÇÃO.

AS MARGENS DO PREPARO NÃO DEVEM ESTAR SITUADOS NOS CONTATOS OCLUSAIS CÊNTRICOS.

O PREPARO DEVE TER PROFUNDIDADE MÍNIMA DE 1,0 mm E, NA ÁREA DE FISSURAS, A LARGURA DO ISTMO DEVE SER DE, NO MÍNIMO, 1,0 mm.

PREPARAR A CAIXA PROXIMAL COM PAREDES LIGEIRAMENTE DIVERGENTES E OBSERVAR UM ÂNGULO DE 100°-120° ENTRE AS PAREDES CAVITÁRIAS E AS RESPECTIVAS SUPERFÍCIES PROXIMAIS DO INLAY. NO CASO DE PRONUNCIADA CONVEXIDADE DAS SUPERFÍCIES PROXIMAIS, SEM SUPORTE ADEQUADO PELO OMBRO PROXIMAL, OS CONTATOS DA ARESTA MARGINAL SOBRE O INLAY, DEVEM SER EVITADOS.

ARREDONDAR AS MARGENS INTERNAS E TRANSIÇÕES PARA PREVENIR A CONCENTRAÇÃO DE "STRESS" NO INTERIOR DO MATERIAL CERÃMICO.

NÃO PREPARAR SLICES, BISÉIS OU MARGENS AFILADAS.

OS CONTATOS OCLUSAIS ESTÁTICOS E DINÂMICOS DEVEM SER LEVADOS EM CONSIDERAÇÃO.

AS MARGENS DO PREPARO NÃO DEVEM ESTAR SITUADAS NOS CONTATOS OCLUSAIS CÊNTRICOS.

O PREPARO DEVE TER PROFUNDIDADE MÍNIMA DE 1,0 mm E, NA ÁREA DE FISSURAS, A LARGURA DO ISTMO DEVE SER DE , NO MÍNIMO, 1,0 mm.

PREPARAR A CAIXA PROXIMAL COM PAREDES LIGEIRAMENTE DIVERGENTES E OBSERVAR UM ÂNGULO DE 100°-120° ENTRE AS PAREDES CAVITÁRIAS E AS RESPECTIVAS SUPERFÍCIES PROXIMAIS DO ONLAY. PARA OS ONLAYS COM PRONUNCIADA CONVEXIDADE DAS SUPERFÍCIES PROXIMAIS, SEM SUPORTE ADEQUADO PELO OMBRO PROXIMAL, OS CONTATOS DA ARESTA MARGINAL, DEVEM SER EVITADOS.

ARREDONDAR AS MARGENS INTERNAS E TRANSIÇÕES PARA PREVENIR A CONCENTRAÇÃO DE "STRESS" NO INTERIOR DO MATERIAL CERÃMICO.

NÃO PREPARAR SLICES, BISÉIS OU MARGENS AFILADAS.

PROVIDENCIAR 1,0 mm, NO MÍNIMO, DE ESPAÇO LIVRE OCLUSAL.

OS CONTATOS OCLUSAIS ESTÁTICOS E DINÂMICOS, DEVEM SER LEVADOS EM CONTA.

AS MARGENS DO PREPARO NÃO DEVEM SER SITUADAS NOS CONTATOS OCLUSAIS CÊNTRICOS.

PROVIDÊNCIAR REDUÇÃO DE 1,5 mm, NO MÍNIMO, NAS ÁREAS DE CÚSPIDES.

PREPARAR UM OMBRO COM MARGENS INTERNAS ARREDONDADAS OU UM CHANFRO PROFUNDO.
A LARGURA DO OMBRO/CHANFRO DEVE SER DE 1,0 mm, NO MÍNIMO.





REDUZIR A FORMA ANATÔMICA E RESPEITAR AS ESPESSURAS MÍNIMAS ESTIPULADAS.
PREPARAR UM OMBRO COM EXTREMIDADES INTERNAS ARREDONDADAS OU  UM CHANFRO PROFUNDO.
A LARGURA DO OMBRO/CHANFRO CIRCULAR DEVE SER DE 1,0 mm, NO MÍNIMO.

EFETUAR REDUÇÃO OCLUSAL DE APROXIMADAMENTE 1,5 mm.

REDUZIR AS ÁREAS VESTIBULAR e/ou LINGUAL DE APROXIMADAMENTE 1,5 mm.

PARA CEMENTAÇÃO CONVENCIONAL e/ou AUTO-ADESIVA, O PREPARO DEVE APRESENTAR SUPERFÍCIES RETENTIVAS E SUFICIENTE ALTURA DE PREPARO.


 

COMO AS FORÇAS MASTIGATÓRIAS SÃO DIFERENTES, A LARGURA MÁXIMA ACEITÁVEL PARA O PÔNTICO TAMBÉM SERÁ DIFERENTE PARA AS REGIÕES ANTERIOR E POSTERIOR.
A LARGURA DO PÔNTICO É DETERMINADA SOBRE O DENTE NÃO PREPARADO.

NA REGIÃO ANTERIOR (ATÉ O CANINO), A LARGURA DO PÔNTICO NÃO DEVE EXCEDER A 11 mm.

NA REGIÃO DE PRÉ-MOLAR (CANINO AO 2º PRÉ-MOLAR), A LARGURA DO PÔNTICO NÃO DEVE EXCEDER A 9 mm.

PARA CIMENTAÇÃO CONVENCIONAL e/ou AUTO ADESIVA, O PREPARO DEVE APRESENTAR SUPERFÍCIES RENTENTIVAS E SUFICIENTE ALTURA DE PREPARO.